title3.gif

Suspensão de contratos na Malha Sul obriga exportador a recorrer a caminhão

Exportadores de bauxita, alumina, produtos cerâmicos e refratários estão quebrando a cabeça para embarcar seus produtos para a Argentina. Até então, toda essa carga era transportada por ferrovia, pela Malha Sul da Rumo ALL, também conhecida como Corredor Mercosul. Mas, no fim do ano passado, a Brado - braço logístico da Rumo, que detém a concessão ferroviária - avisou que a partir de maio encerraria o contrato que presta serviços para companhias como Alcoa e Magnesita. O problema é que ao encerrar o contrato, foi afetada a movimentação da ferrovia, que é uma concessão pública que soma cerca de 12 mil quilômetros de extensão. A informação é de que apenas de uma das operações da companhia seria suspensa a partir de 1º de maio, mas há empresa que afirma não conseguir embarcar nenhuma carga nova pelo Terminal de Tatuí (SP), desde 15 de março. Em nota, a ANTT afirmou estar "monitorando a situação e que tomará as medidas cabíveis no que tange ao transporte ferroviário". As informações estão na edição de hoje do jornal O Estado de S.Paulo.

Fonte:O Estado de S.Paulo