title4.gif

Sem mudança, portos públicos podem ter ano ainda mais difícil

Apesar da retração de 1% na movimentação portuária em 2016, o desempenho previsto pelo setor para 2017 é mais positivo, sobretudo, com a perspectiva de melhora nos preços das commodities no mercado global. O resultado de terminais arrendados, no entanto, ainda depende do destravamento regulatório e a retomada do consumo de produtos importados no País.

Em 2016, a movimentação de carga nos portos brasileiros atingiu um volume de 998,06 milhões de toneladas. Se observado o desempenho por instalação portuária, os dados da Agência Nacional dos Transportes Aquaviários (Antaq) mostram que enquanto os terminais de uso privado (TUPs) tiveram queda de 0,25% do total de carga movimentada, os portos organizados acabaram com um desempenho mais enfraquecido, com retração de 2,5%. Isso, para a Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (Abtra), é apenas um dos fatores que têm prejudicado o segmento, conforme noticiado pelo jornal DCI.

Fonte:Diário do Comércio e Indústria - DCI